A Escola Profissional de Alvito (E.P.A.), sedeada no Concelho de Alvito, inicia a sua atividade no ano letivo de 1990/91, ao abrigo do Decreto – Lei 26 / 89 de 21 de janeiro, o qual criou as Escolas Profissionais. Concretizando velhas aspirações e preenchendo uma lacuna no sistema educativo, permitiu assim aos jovens da região o prosseguimento de estudos a nível secundário, associando ao mesmo tempo uma formação profissional qualificada e uma mais fácil inserção na vida ativa.
A EPA inicia a sua atividade com apenas três cursos: Técnico de Contabilidade, Cozinha / Pastelaria e Mesa / Bar, sendo o primeiro de Nível III e os outros dois de Nível II. A população escolar era inicialmente de 40 alunos, 12 professores / formadores e três funcionários.
A população escolar é atualmente composta por  237 alunos, 23 professores / formadores, 27 funcionários, sendo de salientar que dos 27 funcionários da EPA, 11 foram alunos da escola. 

Ao longo destes anos, a Escola tem feito uma análise aberta ao modo como a comunidade escolar (alunos, professores e funcionários) se organiza e atua. Diagnostica os problemas e estabelece objetivos de mudança e oportunidades de correção, sendo que, as decisões assumidas e implantadas envolvem sempre um alto grau de participação e responsabilidade de todos.
Vive-se nesta Escola a formação integral do indivíduo, aliando o “saber” ao “saber fazer”, criando no aluno o sentido de autonomia, autoconfiança e respeito pela autonomia dos outros, sempre solidário como cidadão livre e responsável.
Procura-se incentivar os contactos com o mundo do trabalho através de visitas de estudo, simulação de ambientes de trabalho e entrevistas a profissionais. A aproximação ao mundo empresarial é feita através de conferências, jogos de papéis, exposições e formação em contexto de trabalho.
A EPA estabelece parcerias e protocolos com o intuito de se envolver mais activamente  no desenvolvimento local e permitir assim um mais rápido e real acompanhamento da sociedade e de um mundo em constante mudança.
 

 

Modelo de Ensino

Modelo de Ensino
O ciclo de formação tem a duração de 3.100 horas repartidas por 3 grandes componentes:
- Componente Sócio – Cultural – 25%
- Componente Científica – 25%
- Componente Técnica, Tecnológica e Prática – 50%
É privilegiada a avaliação contínua. Os conteúdos dos programas a lecionar estão organizados por módulos e formação em contexto de trabalho. Decorridos 2/3 do curso, é realizada uma Prova de Aptidão Profissional num dado domínio tecnológico (projecto individual de trabalho), avaliada por um Júri externo, no qual participam organizações empresariais e profissionais.
Os cursos Profissionais, conferem Certificação Académica ao nível do 12º Ano de Escolaridade e Certificado Profissional (Diploma) como Técnico Intermédio Altamente Qualificado (Nível IV da União Europeia) e/ou acesso ao Ensino Superior.
 

Áreas de Formação

As cinco áreas de intervenção são fruto de um diagnóstico de necessidades na região, onde autarquias, associações de desenvolvimento local (Associação Terras Dentro), associações empresariais, IEFP, cooperantes da entidade proprietária da EPA e empresários da região, contribuem com a sua sensibilidade e o seu conhecimento para que a cada ano que passa nos oriente no trajeto a seguir.
• Hotelaria e Restauração
• Ciências Informáticas
• Finanças, Banca e Seguros


Nos Cursos de Educação Formação (CEF) as áreas são:
• Hotelaria/ Restauração
•  Informática.